ion_builder_container hundred_percent=”no” equal_height_columns=”no” menu_anchor=”” hide_on_mobile=”small-visibility,medium-visibility,large-visibility” class=”” id=”” background_color=”” background_image=”” background_position=”center center” background_repeat=”no-repeat” fade=”no” background_parallax=”none” parallax_speed=”0.3″ video_mp4=”” video_webm=”” video_ogv=”” video_url=”” video_aspect_ratio=”16:9″ video_loop=”yes” video_mute=”yes” overlay_color=”” video_preview_image=”” border_color=”” border_style=”solid” padding_top=”” padding_bottom=”” padding_left=”” padding_right=”” type=”legacy”]

Fugir ao padrão pode ser muito bom, principalmente porque isso só acontece quando abrimos os olhos para novas possibilidades.

Recentemente fiz uma brincadeira nos stories usando o filtro de um E.T. Assumo que minha carinha verde e com orelhas pontudas ficou bem engraçada.

Entretanto, o interessante dessa estória é que na enquete eu perguntei se mais alguém também se sentia como um E.T de vez em quando e 82% das pessoas responderam que sim.

Naquele momento eu traduzi meu sentimento ao fugir ao padrão como sendo uma E.T. Eu estava, mais uma vez, apostando na qualificação e no desenvolvimento pessoal da base operacional das empresas, e acredito mesmo que isso é muito bom.

Todas as vezes que me senti uma E.T. eu tinha tomado decisões que me colocaram fora do padrão.

Foi assim quando eu resolvi trocar a zona sul carioca pelo interior paulista, há quase 30 anos. Depois, quando pedi exoneração de um cargo público federal no TRT para voltar à iniciativa privada. Mais uma vez, quando pedi pra sair de uma renomada instituição de treinamentos para ter a liberdade de apresentar a minha metodologia às empresas e também às pessoas que buscam, por conta própria, o desenvolvimento profissional.

Não, não é fácil romper com o que as pessoas esperam da gente, mas é tão valoroso seguirmos aquilo que acreditamos. Fico pensando o que aquelas pessoas da enquete fizeram para se sentirem tão fora do padrão? Será um comportamento, uma crença, um hábito, um jeito de se vestir, de falar, a decisão de crescer, de enfrentar riscos maiores?

Cuidado com a zona de conforto.

Na verdade, para mim, o que importa é a atenção contínua para não sermos engolidos pela normalidade. Ela nos coloca muito próximos de uma zona de conforto que, silenciosamente, pode ir nos restringindo, nos tornando acomodados.

Perceba que não há aqui nenhum julgamento de valor quanto ao que seria essa normalidade, até porque eu nem saberia definir o que é normal ou não. O importante é saber se nosso comportamento reflete o que somos ou o que querem que sejamos.

Sentir-se como um E.T, é perceber-se saindo da média, fugindo aos padrões. É apostar no próprio potencial, é saber que daremos conta. Afinal, é por isso que eu digo que fugir ao padrão pode ser muito bom.

Líderes e não líderes precisam de treinamento para que consigam falar a mesma língua.

Quando falo em qualificar a base operacional das empresas, indo além dos treinamentos técnicos ou obrigatórios, bato de frente com o padrão “treinamos os líderes e eles desenvolvem suas equipes”.

É claro que o treinamento para o desenvolvimento pessoal da liderança é essencial, mas não é justo exigir que ela faça todo o resto. Um líder bem treinado é capaz de aplicar novos conceitos, mudar a própria conduta, mas poucos são os que conseguirão preparar a equipe para receber essas novas práticas. Seja por falta de habilidade, de tempo, de vontade, não importa, essa é a realidade que percebo por onde passo. A empresa treina a liderança, as pessoas avaliam o treinamento super bem, mas muito pouco chega na base.

Treinamento e desenvolvimento pessoal caminham juntos, ou deveriam!

Sendo assim, vou continuar apresentando para as empresas meus programas de treinamento e desenvolvimento pessoal voltados para a base operacional. Em paralelo, sigo apostando naqueles que já entenderam a necessidade de buscar o autodesenvolvimento profissional e buscam por mentoria de carreira, cursos online, palestras.

Sei que por um tempo ainda vão me olhar como uma E.T porque ofereço o que ainda não é padrão por aqui. Afinal, sigo o movimento do mercado profissional que se pauta por novos pensadores, pela perspectiva de novos formatos de negócios, pela busca da humanização das empresas. Não estou sozinha nesse universo e sei que em breve tudo isso será “normal”.

Agora que você já sabe que eu acredito que é qualificando, técnica e comportamentalmente, as pessoas da base operacional das empresas que teremos melhores resultados, deixo o convite para você me acompanhar nas redes sociais, conhecer meu site https://tatianalivramento.com.br/ e interagir comigo, me permitindo assim fazer parte do seu dia a dia.

Se quiser saber sobre o curso online “Alavanque Sua Carreira!” é só clicar em https://hotm.art/AlavanqueSuaCarreira

Ficarei honrada em ter você por perto!